GDSolar assina o Pacto Global da ONU

Por GDSolar

São Paulo, 30 de março de 2021 – A GDSolar, líder em desenvolvimento de projetos, construção e administração de usinas solares no Brasil – é a primeira empresa brasileira do setor de geração distribuída a se tornar signatária do Pacto Global das Nações Unidas. Atualmente o Pacto Global da ONU reúne mais de 13.000 participantes em todo o mundo, dos quais 1.100 atuam no Brasil. GDSolar solicitou sua adesão no mês de março deste ano quando seu portfólio atingiu 54 usinas fotovoltaicas com capacidade de geração estimada de 193 MWp.

O Pacto Global da ONU oferece às empresas signatárias a oportunidade de reforçar, ou criar, sua estrutura de responsabilidade econômica, social e ambiental por meio de plataformas de aprendizagem e suporte junto as redes nacional e internacional. Para ter esse acesso, a Empresa assinou um compromisso com a ONU e vai aplicar os 10 Princípios do Pacto Global nas suas atividades diárias. O reporte dessa evolução junto à ONU será feito anualmente. Os 10 Princípios abrangem as áreas de direitos humanos, trabalho, meio ambiente e combate à corrupção. Ao assinar o Pacto Global a GDSolar também se comprometeu com o desenvolvimento de metas que contenham os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), estabelecidos pela ONU.

De acordo com o CEO da GDSolar, Alexandre Gomes, um dos objetivos da Empresa é reduzir custos e trazer oportunidades de crescimento sustentável para as companhias clientes. “A energia solar oferece uma chance de inovação competitiva e sustentável para as empresas. Hoje a troca da matriz energética global é uma necessidade irreversível. As empresas que participam desse movimento melhoram suas avaliações, atraem mais investidores e contribuem com a solução de um dos maiores desafios da atualidade, que é a redução da emissão de carbono na atmosfera.”

Segundo o executivo, a GDSolar vai focar seu primeiro passo na internalização dos conceitos do Pacto junto ao seu corpo de colaboradores. Após isso deve evoluir no desenvolvimento de ações junto aos ODS. “Nesse primeiro ano, o objetivo é envolver nosso time e definir em conjunto a melhor forma de incluir os 10 Princípios do Pacto Global nas nossas decisões diárias. Após essa definição vamos poder contribuir de forma mais ágil no desenvolvimento de metas ambientais, sociais e econômicas previstas nos ODS”.

Nessa fase, a GDSolar deve atuar junto às metas dos ODS 13 (Ação Climática) e 7 (Energia Acessível e Limpa). Entre os objetivos do ODS 13 está o de adotar medidas para combater as mudanças climáticas. Já o ODS 7 tem entre suas diretrizes, a de promover a transição global da matriz energética para fontes renováveis, limpas e acessíveis.

Por meio das plataformas oferecidas pelas redes do Pacto Global, as novas empresas são estimuladas a focar naquilo que são melhores, sem a necessidade de ter que adotar metas em todos os 17 ODS. A ideia por trás desse conceito é simples: após a geração de novas oportunidades de negócios e relacionamentos com os públicos de interesse, um número maior de ODS ocupará de forma orgânica mais espaço nas metas das empresas.

“Faz parte da Estratégia ESG GDSolar estimular que nossos públicos de relacionamento conheçam e adotem os objetivos do Pacto Global, que hoje é a maior iniciativa de responsabilidade social corporativa em atividade no mundo. Seus conceitos possuem a profundidade, abrangência e simplicidade necessárias para que as empresas adotem ações práticas e metas objetivas de sustentabilidade, que hoje tem no ESG seu sinônimo mais conhecido. É nosso compromisso contribuir para que o desenvolvimento econômico global caminhe de forma mais equilibrada com as metas sociais e ambientais”, completa Emerson Kapaz, diretor de Relações Institucionais da GDSolar.

Nos últimos doze meses as usinas fotovoltaicas administradas pela GDSolar evitaram que 36.000 toneladas de gases efeito estufa (CO²e) fossem emitidos na atmosfera do planeta. A decisão dos seus clientes, em adotar o uso da energia solar, resultou nesse balanço positivo.